Sintra, é sem dúvida, um pedaço de um mundo encantado.
É magico, misterioso, encantador e exuberante na sua natureza e história.
Aqui temos o Palácio da Pena, um monumento imponente e dado à excentricidade
do seu tempo. 
Cheio de cor por tudo o que é sítio, naquela época eram dados à paródia e depois dava nisto!


ah e tal mas porque que tem aquelas cores todas?

E a resposta é muito simples meus amigos, porque quem pode, pode!
A exuberância corria-lhes nas veias.
O Nando,  o D. Fernando II  que já vos falei, lembram-se?
Aquele  que era casado com a D. Maria II, mas o verdadeiro amor da sua  vida foi
Elise Friederick
.
Sim! A senhora do Chalet.
Este homem era um Artista, um verdadeiro amante das Artes, e então construiu um Palácio cheio de efeitos espalhafatosos e mariquices rococós .
O pormenor mais intimidador é o tritão.
Esta figura mitológica chamado Tritão que é nada mais, nada menos que meio homem, meio peixe e feio à brava!
Esta figura é das mais enigmáticas, até aos dias de hoje, pois não foi revelada qualquer explicação plausível.
A descodificação desta figura, tem variadas teorias.

O D. Fernando II recuperou elementos da cultura Portuguesa e certamente inspirou-se na Obra de Damião de Góis, onde descreve um tritão a cantar numa concha ou então no nosso eterno Luis, o zarolho… o Camões que menciona o tritão nos Lusíadas.
Depois de nos deslumbramos pelo peitoral desta criatura, onde se dividi pelo mar e a terra, vamos dar a um terraço.
Pátio dos Arcos, assim se chama.
O lugar, onde é impossível tirar uma foto, em posse pensativa e publica-la nas redes sociais, com a
legenda “ Me, myself  and I “ ou então aquela pose marota acompanhada por um poema qualquer, retirado do google, porque
existe sempre mas… SEMPRE! Montes de pessoas, num rodopio tremendo.
Depois de varias tentativas falhadas, de uma excelente fotografia podem sempre ir

observando o Castelo dos Mouros, e até mesmo sentir um certo plágio, nas janelas  do Convento de Cristo.

 Mas qual é a janela?

Têm que ir lá ver!  Descobrir.
Já sei que vão ao google e descobrir, já!

 Depois destas contemplações todas, temos um bar.
Este Bar, tem uma vista incrível, como é de esperar, não fosse o Palácio estar a 500m de altitude e ter sido construído em 1838.
Aqui, de forma fácil e voluntaria, dás um rim por uma garrafa de água…das PEQUENAS!
Mas depois olhamos à volta e tudo valeu a pena.
O interior fica para uma próxima, não percam.


Sugestões

– O bilhete é carote, 18€ para veres tudo.
 Se quiseres ver apenas o jardim e o exterior pagas 16€

– Tem muitas filas ao fim de semana e em períodos de férias.

– Ir cedinho

Levar uma garrafa de água e uns snacks, andas muito para visitar toda aquela área.

Calçado confortável  e que não seja escorregadio

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!