A maior surpresa da viagem a Bruxelles foi sem dúvida Dinant.
Dinant fica na beira do rio Meuse, na província belga de Namur.
Se Bruges é um conto de fadas, Dinant não se fica atrás.
É uma cidade muito pequenina mas é muito rica em história e tem uma beleza incomparável.

Depois de ter ficado surpreendida, decidi subir até a Citadelle,
Que é como quem diz, vou subir o monte e ter uma vista pela cidade invejável e visitar o castelo.

De Teleférico é rápido, não havia fila e evitei uns lindos 408 degraus.
bilhete foi 11€ porque juntei à visita, a exposição surpresa. 
Sem exposição é 8 €.
Se quiserem visitar a Citadelle, subir de teleférico e dar uma volta de barco pela cidade o
bilhete fica em 16€.
Quando cheguei a Citadelle estava a acontecer uma performance do grupo “Tambores” ao vivo e a cores.
A performance explicava tudo direitinho e de uma forma muito realista como foi vivida a
1ª guerra mundial em Dinant.

 

Depois de uma excelente exposição e uma optima performance percebi tin tin
por
tin tin toda a história.
Durante a visita guiada, cheguei a um miradouro e fiquei sem saber, para que lado olhar!


A Batalha de Dinant consistiu num combate que colocou frente-a-frente as forças francesas e alemãs, durante a 1ª guerra mundial, no contexto da Invasão alemã da Bélgica.
A 15 de Agosto de 1914, as tropas alemãs capturaram a Cidadela, mas foi recapturada de forma muito rápida, com um contra-ataque francês durante uma tarde. Embrulha!
Passado 6 dias um grupo alemão de forma atrevida, entrou por uma rua e começou um ataque, feitos malucos mas…
as coisas não correram da melhor maneira,
foram corridos à pistolada!
Não satisfeitos, no dia seguinte voltaram! Mataram muito civis belgas desarmados,
à volta de 674. Foi o maior massacre durante a invasão belga.

A cidade de Dinant devido a todos estes conflitos, foi quase totalmente destruída e 
logo depois foi reconstruida.

Foi uma visita guiada fantástica, com direito a visitar um bunker que foi atingido por uma
granada e ficou inclinado desde então.

Era mais ao menos o cenário inclinado da SIC, no programa “Vale Tudo”.
Uma experiência incrível, dentro do ambiente obscuro que é um bunker.
Depois da visita decidi toda contente ir ver a exposição surpresa , e não é que foi uma 
grande surpresa!
Principalmente para as crianças ou para os adultos que adoram a DISNEY.
Uma exposição de esculturas de areia com toda a bonecada deste mundo encantado.

Explorei mais um bocadinho Citadelle depois desta exposição e encontrei um miradouro com atividades para crianças e um bar
que também se paga para se despejar a bexiga!

Enquanto procurava a rua onde os alemães tinham atacado a cidade.
( Sim! Gostei tanto da história que fiquei demasiada envolvida )
N
o caminho da dita rua, reparei que  havia pegadas em bronze no chão, de vários 
tamanhos, uma aqui outra ali outra acolá!

E comecei a seguir pensando que iria dar à rua, mas não!
L
evou-me até ao museu do saxofone.

O criador do saxofone  Hector Berlioz, nasceu em Citadelle.
O museu conta como foi criado e tem uma pequena atividade musical.
O museu é “piquinino” mas vale a pena conhecer
!

Depois de ter encontrado a rua onde os alemães entraram feitos espertos, estava na hora de apanhar o comboio de regresso,
passei por um restaurantezinho típico, porque a fome já estava apertar e trouxe uma sandes, mas que rica sandes!
Não custou mais que 3€ e sem dúvida que é o dobro das sandes por cá!
Tanto de tamanho como de preço…


Sugestões

– Paga-se  0.40€ para ir ao WC mas para o museu do saxofone não!

– Vê-se numa manhã / tarde

– O comboio de Bruges até Dinant demora 3h de caminho

– Dinant é famosa pelas suas bolachas à base de mel “esculpidas”, chamadas de
couques de Dinant, que são
usadas tanto para decoração como para comer.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!