Imensa gente andava azucrinar a cabeça para ir ver o Chalet da Condessa D´Edla…

…Ai, é tão giro tens que ir ver!…
…Dá para tirar fotos tão fofinhas, olha esta!…
…Isto é história, vale a pena ir de certeza…

Até que fui…!
Estava aborrecida em casa sem nada para fazer e decidi ir dar um passeio por Sintra, eu como gosto imenso desta zona  decidi ver o tal fofinho Chalet.
Ora bem… é um sitio bonitinho.
Mas….fiquei desapontada.

E porquê? 
(perguntam vocês)

Porque para mim todos os edifícios ou objectos antigos tem muito mais valor quando sentimos em contacto com algo real, com algo que não foi ajustado.
O que está diante dos nossos olhos, deve ou devia de ser o que realmente foi naquela época.

Assim é só apenas um conto, e quem conta um conto… acrescenta um ponto!

Supostamente ERA, porque aquele não foi ,o Chalet da condessa
D´Edla.

O verdadeiro Chalet ardeu, sobrou metade da habitação, mas mais valia terem construido algo à  volta do que restou do que restaurarem.

jcc6_chalet_antes2_credits_psml-2
Fernando ” O Artista “ que já vos falei, foi casado com D.Maria II MAS…
O amor da sua vida foi Elise Friederick, pois é!
Isto de se estar casado não quer dizer que exista amor e isso já vem desde
o ” Tempo dos Afonsinhos”

Portanto, D.Fernando tinha uma enorme paixão por arte e Elise Friederick teve uma educação exemplar, tinha o gosto pelas Artes e Letras, formou-se
em canto, integrou-se na companhia de Ópera de Laneuville, em 1860.


Veio para Portugal e estreou-se no Teatro de S.João no Porto, e mais tarde no
Teatro
S. Carlos, em Lisboa.
Mas aquela mulher fazia de tudo, ela era escultora, ceramista, pintora, arquitecta, floricultora 
entre outros dons, mas isso só o Fernando poderá revelar…


Em 1869 recebeu o titulo de Condessa D´Edla pela mão do Príncipe Ernesto de Saxe-Coburgo Gotha.
Casaditos, este era o refugio dos pombinhos, instalado no Parque da Pena seguindo o modelo dos Chalets Alpinos.
Da decoração sobressaem as pinturas, os estuques, os azulejos e o uso exaustivo da cortiça.


No exterior, o jardim que envolve o Chalet existe espécies botânicas provenientes dos quatro cantos do mundo, criando uma paisagem exótica em que se destacam a Feteira da Condessa, o Jardim da Joina, o Caramanchão e os lagos.


Horário: 10h – 18h
Bilhetes: 8,50€ adultos, 7€ jovens (6-17 anos)
(aos domingos até as 13h é gratuito para os moradores do concelho de Sintra)


Coordenadas GPS
38° 47’ 9,41” N |
9° 23’ 58,48” W


Sugestões

– Levar um casaquinho, em Sintra o tempo é manhoso

Calçado confortável 

4 thoughts on “De Chalet tem pouco”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!